sábado, 20 de abril de 2013

POEMAS DE LEMINSKI



Poetas Velhos [Paulo Leminski]



Bom dia, poetas velhos.
Me deixem na boca

o gosto dos versos
mais fortes que não farei.

Dia vai vir que os saiba
tão bem que vos cite
como quem tê-los
um tanto feito também,
acredite.









[É tudo o que sinto] (Paulo Leminski)



Inverno

É tudo o que sinto

Viver

É sucinto







Motivo


Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
- não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
- mais nada.