sexta-feira, 18 de junho de 2010

MORRE JOSÉ SARAMAGO


Prêmio Nobel e autor de "Ensaio sobre a cegueira" morreu aos 87 anos.



- "Sua morte foi uma grande perda para a literatura mundial", diz Moacyr Scliar.




A morte do escritor português José Saramago, nesta sexta-feira (18), aos 87 anos, mexeu com colegas de profissão e admiradores famosos. O escritor Moacy Scliar, membro da Academia Brasileira de Letras, foi um dos que prestou uma última homenagem ao Prêmio Nobel de Literatura.


Moacy Scliar, escritor:


"Eu recebi com muito pesar a notícia da morte do Saramago, de quem eu era leitor, admirador e colega na Academia Brasileira de Letras, local em que ele foi eleito membro correspondente mas não chegou a tomar posse. Fui muito amigo dele, convivi com ele quando ele visitou Porto Alegre. Sua morte foi uma grande perda para a literatura de lingua portuguesa e também para a literautura mundial."




Fotógrafo Sebastião Salgado:


"O Saramago foi um amigo, uma pessoa que eu respeitava demais. Fizemos muitas coisas juntos, inclusive o livro 'Terra', que foi lançado no Brasil (...) Ele sempre foi um militante, um homem de esquerda, comprometido com todas as causas sociais, principalmente de Portugal e do Brasil. Sinto profundamente. É uma perda muito grande."




O também escritor João Paulo Cuenca falou que estava muito emocionado com a morte do autor de "O ano da morte de Ricardo Reis", livro que de 1984, considerado por Cuenca como um dos melhores livros escritos na língua portuguesa.




João Paulo Cuenca, escritor:


"Adoro também o último livro dele, 'Caim', por causa do vigor e do senso de humor. Imagino que agora, com a sua morte, esteja se repetindo a cena final do livro, com Saramago pedindo para Deus prestar contas."




Ivana Arruda Leite, escritora:


"Comecei por um livro de contos pouco conhecido chamado 'Objecto Quase'. Genial. Dentre os romances, o meu preferido é 'O Evangelho segundo Jesus Cristo', o relato mais apaixonante de Jesus Cristo já feito na literatura."






O escritor e tradutor Fábio Fernandes:


"Dizer que Saramago foi um dos maiores escritores da língua portuguesa vai ser, claro, a frase-clichê do ano. Porque é verdade. Mas as provas estão aí, para quem tiver olhos de ler: "Ensaio sobre a cegueira", "História do cerco de Lisboa", "A jangada de pedra", "Memorial do convento"... a lista é imensa, e certamente cada um terá seu favorito. Eu tenho vários. Hoje mesmo vou tirar um livro de Saramago da estante e reler. Se as lágrimas deixarem."




Da Redação Revista zaP!

Com Informações: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTE,
DÊ SUA SUGESTÃO OU OPINIÃO.